Conta de luz: 6 dicas para economizar

Você já deve ter percebido que sua conta de luz veio com um valor mais alto. Para além da fatura de energia dos consumidores, os reajustes e a bandeira vermelha devem provocar um aumento em cascata nos preços — já que tudo é movido a energia.

Ou seja, a feira do mês, a mensalidade da academia, a prestação da escola das crianças… várias contas devem passar por reajustes, o que não é bom para ninguém 😢

Resumi logo abaixo, para você, as razões desse aumento. Em seguida, enumerei algumas dicas para economizar energia e dar uma reduzida na conta… cada centavo conta, né?

Por que a conta de luz está tão cara?

Para entender o preço da sua fatura, é necessário saber um pouco mais sobre a matriz elétrica brasileira — ou seja, de onde vem a nossa energia elétrica.

Quase 65% de nossa energia elétrica vem de fontes hidráulicas — as usinas hidrelétricas. Essa energia é gerada a partir de turbinas que são movimentadas com a força das águas.

Outras fontes, como queima de gás natural (9,3%), energia eólica (8,6%) e biomassa (8,4%), completam a matriz energética brasileira.

Quando há um baixo volume de chuvas, os reservatórios das hidrelétricas produzem menos energia por conta da redução da vazão de água. Hoje, a maior parte desses reservatórios estão localizados em regiões que enfrentam a pior estiagem em décadas.

“Tá certo, will, entendi que tem menos energia lá na fonte. Mas por que o preço aumenta desse jeito?”

Quando fenômenos assim acontecem, o governo federal aciona outras fontes de energia complementares. Um exemplo são as usinas termelétricas, que funcionam à base da queima de combustíveis.

É uma energia bem mais cara. Diante da escassez e da alta demanda, o custo aumenta ainda mais. Com isso, essa conta excedente é cobrada por meio da bandeira vermelha — que teve um reajuste de 52% no fim de junho.

Bandeiras tarifárias

  • Verde: tudo normal na geração, nenhum acréscimo à conta de luz.
  • Amarela: opa, a situação complicou um pouco. A geração precisa de um reforço das outras fontes. Aumento de R$ 0,015 por kw/h consumido.
  • Vermelha 1: eita, a coisa tá feia na geração. o reforço tem que ser maior. Aumento de R$ 0,030 por kw/h consumido.
  • Vermelha 2: agora a bronca ficou séria. As outras fontes precisam suprir a queda drástica na geração hidráulica. Aumento de R$ 0,045 por kw/h consumido.

Mas também existem outros motivos. Por exemplo, com a pandemia, mais pessoas passaram a trabalhar de casa, onde ficam praticamente o dia inteiro. Além disso, com a chegada do inverno, torna-se mais comum o uso do chuveiro elétrico 🚿

A bandeira vermelha está além do nosso poder. No entanto, podemos reduzir o volume de quilowatts (Kw) consumido em nossos lares e compensar a alta na conta de luz por meio de um consumo mais consciente.

Como reduzir o consumo de energia? 6 dicas

1. Os banhos quentes têm que ficar mais curtos

Quem mora com muitos familiares conhece o drama. Ninguém abre mão de um banho quentinho, o banheiro fica parecendo uma sauna depois que alguém sai. O problema é que esse conforto custa caro.

Um levantamento recente da Procel e da Eletrobras mostra que quase metade (45,6%) dos brasileiros demoram até 10 minutos no chuveiro — 14,5% ficam de 11 a 20 minutos. Em algumas regiões, cada pessoa toma até 4 banhos por dia. Faça as contas.

O chuveiro elétrico é um dos eletrodomésticos campeões de consumo. Um aparelho de 4500w, o mais utilizado no Brasil, consome cerca de 13 kWh/mês. Já chuveiros de 7500w de potência chegam a 37 kWh/mês.

Por isso, ele deve estar no topo da sua lista na hora de economizar. Mas não precisa se sacrificar, algumas medidas devem ser suficientes, como:

  • optar por aparelhos mais modernos e eficientes;
  • usar uma temperatura intermediária durante os banhos;
  • não usar “remendos” na resistência do chuveiro;
  • conversar com a família e reduzir o tempo de banho;
  • não deixar fios soltos e desencapados (além do desperdício, há risco de choque elétrico).

2. Instale e use o ar-condicionado corretamente

Quase ninguém dispensa um refrigerador de ar, seja para trabalhar, seja para dormir. No Brasil, quase 17% dos domicílios têm um aparelho de ar-condicionado — sem mencionar os estabelecimentos comerciais e escritórios.

A pesquisa da Procel/Eletrobras também mostra que brasileiros adoram aquele friozinho glacial: 46,5% dos consumidores usam o aparelho no modo mais gelado possível 🥶🥶🥶.

Mas não se preocupe, o conforto térmico pode ser amigo da economia. Uma das orientações mais importantes é instalar o ar-condicionado em um local alto e sem incidência de raios solares.

Outra coisa: mantenha portas e janelas bem fechadas enquanto o aparelho estiver ligado. Quando o local chega à temperatura escolhida, o compressor do ar-condicionado desliga e ele trabalha apenas para manter a temperatura estável — quanto maior a troca de temperatura com o ambiente externo, maior o gasto energético.

Outra dica valiosa é resistir à tentação de entrar em um ambiente e tacar logo a menor temperatura. O tempo de resfriamento é o mesmo e você ainda estará forçando um alto consumo de energia do aparelho.

Ah, e não esqueça de manter os fitros limpos.

3. Diminua o abre-e-fecha da geladeira

Assim como ocorre com o ar-condicionado, a geladeira não reage bem a diferenças bruscas de temperatura. Quanto mais tempo ela passa aberta, mais energia tende a gastar.

Com isso, a fatura de energia vem mais alta e você ainda corre o risco de estragar alguns alimentos sensíveis.

A principal medida aqui é acabar com aquele velho costume de abrir a porta da geladeira e ficar pensando “hum, o que será que eu vim pegar?”

Ao guardar os alimentos no congelador, veja se não há nenhum pacote obstruindo as frestas para circulação de ar.

Por fim, verifique sempre as borrachas de vedação e observe se a geladeira está derramando água. Isso pode indicar algum problema mecânico que leva a um maior consumo de energia.

4. Tire da tomada o que não estiver usando

Vários eletrodomésticos e outros aparelhos entram no modo “standby” quando desligados. Isso significa que eles não estão exatamente desligados e continuam consumindo energia. No fim do mês, o impacto na conta de luz pode ser alto.

É o caso do microondas. Ele puxa energia só para exibir aquele relógio digital no visor. Não é muito necessário, né?

Mas há outros hábitos que se tornaram mais recorrentes e a gente nem percebe. Por exemplo: deixar carregadores de celular nas tomadas. Se você encostar no plugue, sofrerá uma leve descarga elétrica — ou seja, tem energia passando ali.

Caso você use filtros de linha, deixe-os desligados enquanto os aparelhos conectados não estiverem em uso. Assim, não precisa tirar tudo da tomada.

5. Conserte a fiação da sua casa

Fios soltos são verdadeiros ralos de energia e de dinheiro, além de serem um risco para você e sua família.

O ideal é que toda a fiação esteja conectada corretamente, sem pontas aparentes. Com isso, você economiza energia e evita um acidente ou curto-circuito.

6. Substitua as lâmpadas convencionais por LEDs

Lâmpadas do tipo LED consomem bem menos energia, são bastante acessíveis atualmente e têm vida útil longa. Em comparação às fluorescentes, a eficiência nem se compara.

Mas esse não é o único critério que você precisa ter em mente. Antes de comprar, veja a quantidade de “lumens” que cada lâmpada tem. Cômodos menores não precisam de uma iluminação tão forte.

Ah, e vale lembrar da velha dica: apague as luzes em locais onde não tenha ninguém. E, durante o dia, aproveite ao máximo a luz natural.

A conta de luz está mais cara, o que só reforça a necessidade de otimizar nossos hábitos de consumo. Envolva sua família e comunidade nesse debate e fale sobre as razões para diminuir o gasto de energia a partir de medidas simples.

Se você conhece alguém que precisa saber mais sobre economia de energia, envie este artigo pelo WhatsApp ou Facebook.

Avalie esse artigo

Títulos

Classe Exemplo
title__1 6 dicas importantes...
title__2 6 dicas importantes...
title__3 6 dicas importantes...
title__4 6 dicas importantes...

Tags

Classe Exemplo
tag Compras
tags
tags tags--darker

Textos

Classe Exemplo
text

Lorem ipsum dolor sit amet ...

text-2

Lorem ipsum dolor sit amet ...

medium-text

Lorem ipsum dolor sit amet ...

big-text

Lorem ipsum dolor sit amet ...

Botões

Classe Exemplo
button Meu botão